God Bless Ozzy Osbourne

Há pouco mais de um ano (acho que já vão fazer dois anos, não me recordo muito bem) comprei a autobiografia I am Ozzy como o próprio nome diz foi escrita pelo madman Ozzy Osbourne.

Yep ele é o Ozzy

 

Neste livro ele relata todos os acontecimentos de sua vida: infância pobre em Aston, os primeiros anos com o Sabbath, sua ascensão e queda, recomeço com a carreira solo, problemas com drogas enfim, boa parte do que nós já lemos/vimos e/ou ouvimos sobre ele, porém a única diferença é quem está nos contando.

Li o livro na mesma semana que o comprei e posso garantir que é um relato bem interessante sobre sua vida. A forma como ele conta suas histórias é bem humorada e rica em detalhes, detalhes estes que ele mesmo confirma muitos não se recorda devido ao abuso excessivo de drogas e álcool no decorrer de sua carreira e que foram contados seus breves momentos de lucidez e sobriedade.

Pouco antes de ser convidado a sair do Black Sabbath, provavelmente durante a turnê com o Van Halen

Passou-se praticamente um ano após o lançamento do livro e foi anunciado que seu filho Jack estaria envolvido no desenvolvimento de um documentário falando sobre sua vida.

Tão logo foi anunciado o primeiro trailer começou a circular na internet.

 

Após eu ter visto o trailer fiquei bastante curioso para ver o filme. Li que havia vídeos de turnês, bastidores e depoimentos de diversos artistas que estiveram por um determinado período de tempo envolvidos com Ozzy.

Cartaz do filme God Bless Ozzy Osbourne

O filme em si é tal como o livro, tendo o mesmo approach inclusive: iniciando com sua infância pobre em Aston, seus problemas com a lei, ascensão e queda no Sabbath, ressurgimento como um artista solo bem sucedido, a tragédia de Randy, seus anos loucos entre muitas outras coisas.

Em um determinado momento Ozzy aparece assistindo aos seus vídeos na televisão (Bark at the Moon, Ultimate Sin e Breaking all the rules) e em todos eles ele desfere comentários indignados de como ele odiou ter feito cada um deles, provavelmente por estar sempre alterado pelas drogas ou por que era a moda daquela época, como no caso de Breaking all the rules onde ele mesmo fala que é um amontoado de clichês daquela época.

Conforme o filme se desenvolve, muito daquilo no que é dito no livro acaba passando batido pois é óbvio que se for transcrever literalmente o que está lá provavelmente o filme duraria umas 4 ou 5 horas, porém há pontos que gostei bastante como não se aterem a fatos que foram determinantes na carreira dele, como a perda de Randy.

Sua morte foi tratada em pouco mais do que 2 minutos, o que foi o suficiente pois ao invés de se amarrarem a negatividade, eles mostraram quando Randy ganhou o prêmio de melhor revelação do ano de 1981 pela revista Guitar Player.

Randy, Ozzy e Sharon durante a premiação da Guitar Player.

Se você é fã do trabalho do Ozzy, seja com o Sabbath ou solo, recomendo primeiramente que leia o livro Eu Sou Ozzy que você pode encontrar em qualquer livraria on-line, aqui achei esta com um preço bem interessante, para daí então você ver o filme.

Ou caso você seja muito preguiçoso para ler então veja o filme, caso se interesse leia também.

Enfim, aproveitem e curtam seu domingo. =)

 

Anúncios

Sobre leandronagata

Axe-man, dreamer, lover, coffe-addict, teacher and always a student. Ver todos os artigos de leandronagata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: